Comissão que investiga espionagem aprova requerimento para ir ao Maranhão

A Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara Federal deu mais um passo para apurar um suposto esquema de espionagem no estado do Maranhão. Foi aprovado nesta quarta-feira (21), um requerimento de autoria do deputado Aluisio Mendes (PODE-MA), em caráter de urgência, para que deputados viagem até São Luis (MA) e conversem com integrantes do Ministério Público, o procurador-geral de Justiça, Luiz Gonzaga Martins, além dos delegados Thiago Bardal e Ney Anderson, principais denunciantes do suposto esquema de escutas ilegais operado com o apoio do Secretário de Segurança Pública do Maranhão, Jefferson Portella.

Os membros da comissão vêm se debruçando sobre o caso desde que uma audiência foi realizada no dia 02 de julho, também a pedido do deputado Aluisio Mendes, parlamentar que tem acompanhado as investigações na Câmara Federal.

Histórico

Os supostos esquemas de espionagem vieram à baila quando Ney Anderson, delegado licenciado, publicou uma “Carta ao Povo Maranhense”, em um blog local, acusando o secretário de Segurança Pública do Estado, Jefferson Portela, de ordenar escutas ilegais contra membros do Poder Judiciário, assessores e políticos adversários ao governo do estado. O esquema ilegal de interceptações telefônicas era realizado com o uso do Sistema Guardião, uma tecnologia de uso estrito a investigações criminais com prévia autorização judicial.

“O secretário de Segurança mandava constantemente que apurássemos algo ilícito de alguns desembargadores, pedia que iniciássemos as investigações pelos assessores, chegando a pedir que inseríssemos em interceptações de facções criminosas o número telefônico desses assessores, conhecida como ‘barriga de aluguel’, porém nunca compactuamos com esses pedidos, pois até então não tínhamos qualquer fato que ensejasse uma investigação preliminar”, diz Ney na carta.

O problema é que com o passar do tempo, pouca coisa se viu no que tange a investigações sobre caso no estado. Por esta razão, o deputado Aluísio Mendes (PODE-MA), protocolou o requerimento com o objetivo de acompanhar a situação de perto.

Na sessão da última quarta-feira, Mendes lembrou que foi apenas a partir da denúncia feita em audiência na Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado e da repercussão das graves denúncias que a Procuradoria Geral de Justiça decidiu abrir os trabalhos para apurar o fato.

“É importante que esta Casa continue acompanhando essa investigação porque ela só teve início e só terá sequência se a Câmara dos Deputados e essa Comissão estiverem acompanhando pari passu essa investigação”, explicou Mendes.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of
Fechar Menu