Base de Alcântara: Câmara aprova acordo entre Brasil e Estados Unidos
Base de Alcântara

O uso comercial da Base de Alcântara, localizada no estado do Maranhão, para lançamento de foguetes, está próximo de ser realizado pelos Estados Unidos, isto porque o Acordo de Salvaguardas Tecnológicas (AST) foi aprovado nesta terça-feira (22), na Câmara dos Deputados. Considerado um dos principais articuladores da aprovação do AST, o deputado Aluisio Mendes (PSC-MA) comemorou o resultado. Segundo ele, “ganhos econômicos e geopolíticos podem nos inserir no bilionário mercado espacial e consequentemente em projetos de imenso desenvolvimento tecnológico, científico e social”.

Base de Alcântara

A Base de Alcântara foi inaugurada em 1º de março de 1983 para ser o centro espacial do Brasil. Servia, assim, como alternativa à Barreira do Inferno, do Rio Grande do Norte, com a vantagem de estar mais perto da linha do Equador. A condição favorece menor gasto para lançamento do propelente usado nos foguetes. O resultado é uma economia calculada em 30% no combustível utilizado.

Base de Alcântara – ganhos

Segundo prevê o Ministério da Ciência e Tecnologia, sua utilização, de imediato, renderá cerca de US$ 300 milhões (R$1,1 bilhão) ao Brasil. Mas, a partir de 2040 a aposta é numa renda na ordem US$10 bilhões. Isto, por conta da inserção brasileira no mercado mundial de lançamento de foguetes. De tal forma que o país passará a deter, no mínimo, um por cento desse mercado mundial.

Potencial tecnológico e turístico

Durante a tramitação do AST na Câmara Federal, com objetivo de favorecer a campanha em apoio ao Acordo Brasil-EUA, o deputado Aluisio Mendes articulou a ida do ministro da Ciência e Tecnologia ao Maranhão e posteriormente esteve na Base de Kourou, na Guiana Francesa, base de referência mundial em lançamento de foguetes.

Na época, o projeto enfrentava dificuldades. Tanto que o parlamentar chamava a atenção para as possíveis perdas devido o atraso na aprovação do acordo. “O Brasil já perdeu aproximadamente 15 bilhões de reais por não utilizar a base de lançamento”, alertou. “Com a aprovação do acordo, o Brasil se insere no mercado espacial global com potencial tecnológico, e turístico”, arrematou Mendes.

Base de Alcântara – Senado

Depois de votado pelos deputados, acordo Brasil-EUA sobre a Base vai à análise dos senadores. No caso de aprovação pelo Senado, segue diretamente para a sanção presidencial.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of
Fechar Menu